Quase 190 mil fugiram de conflito no Paquistão, diz ONU

Quase 190 mil pessoas fugiram dos choques entre o Exército do Paquistão e milicianos ligados ao Taleban e à rede extremista Al-Qaeda perto da fronteira com o Afeganistão no decorrer dos últimos meses, informou hoje a Organização das Nações Unidas (ONU). O Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) anunciou em Islamabad que o número inclui mais de 20 mil paquistaneses e afegãos que já fugiram para a província de Kunar, no Afeganistão, desde o início de agosto, quando tiveram início os choques.De acordo com o Exército do Paquistão, mais de mil supostos militantes morreram na ofensiva deflagrada em Bajur, na fronteira com o Afeganistão. Não há detalhes sobre civis mortos no conflito. Nos mais recentes episódios de violência ocorridos em Bajur, 17 supostos rebeldes e dois milicianos pró-governo morreram em meio a confrontos ocorridos nesta terça-feira. Citando dados fornecidos pelo governo paquistanês, o Acnur informa por meio de um comunicado que 168.463 pessoas refugiaram-se em outras partes do Afeganistão desde o início da ofensiva. Enquanto isso, a polícia paquistanesa interroga um cidadão americano de 20 anos preso perto da fronteira com o Afeganistão. O rapaz, que identificou-se como estudante, foi detido ontem à noite em um posto militar na região de fronteira vestindo trajes típicos da região e levando consigo um computador portátil. A Embaixada dos Estados Unidos em Islamabad está em busca de informações sobre a detenção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.