Quase 2 mil guerrilheiros foram mortos no 1º ano de Uribe

Ao se aproximar o primeiro aniversário do presidente Alvaro Uribe no poder, o Exército colombiano informou que 1.943 insurgentes foram mortos em enfrentamentos no período, outros 4.272 foram capturados e 799 se entregaram voluntariamente às autoridades. O último informe da seção de estatísticas do Comando do Exército assinala que, no período compreendido entre 7 de agosto de 2002 e 4 de agosto deste ano, a guerrilha das Farc foi a que sofreu os mais fortes golpes.Pelo menos 1.229 guerrilheiros das Farc morreram em combates com as tropas no último ano, 2.408 foram capturados e 525 desertaram para se unirem ao programa do governo de reinserção na vida civil. O Exército de Libertação Nacional (ELN) vem em segundo lugar, com 383 de seus combatentes mortos, 575 detidos e 153, desmobilizados.Os grupos paramilitares também se viram afetados com a morte em combate de 246 de seus membros, a detenção de outros 1.233 e a deserção de 104. No caso das guerrilhas menores, como o Exército Popular de Libertação, o Exército Revolucionário do Povo e o Exército Revolucionário Guevarista, estas sofreram em conjunto a morte de 47 rebeldes e a captura de outros 56.Os militares não informaram sobre baixas próprias, nem números comparativos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.