Quase 2 milhões de pessoas são retiradas com chegada de tufão à China

O tufão Haikui atingiu a China na quarta-feira, com ventos com velocidade acima de 110 km/h, fazendo com que as autoridades retirassem quase 2 milhões de pessoas da região e impedissem a decolagem de centenas de voos com origem e destino a Xangai e outras cidades.

Reuters

08 de agosto de 2012 | 08h56

Mais de 1,5 milhão de pessoas na província de Zhejiang, ao leste do país, e 252.000 habitantes da periferia de Xangai foram retirados após a chegada do tufão no início da manhã, informou a agência de notícias oficial Xinhua.

Mais de 500 voos domésticos e internacionais que decolam e pousam de dois aeroportos de Xangai, Hongqiao e Pudong, foram cancelados a partir das 10h30 do horário local (23h30 horário de Brasília), afirmou a Autoridade Aeroportuária de Xangai em sua conta de microblog.

Nenhum navio teve permissão para entrar ou sair dos portos de Xangai, o mais movimentado do mundo em volume de contêineres, desde terça-feira à noite, informou um oficial da Autoridade Marítima de Xangai.

À noite, espera-se que o centro do tufão vá para o noroeste do país, apesar de que as condições úmidas e com ventanias provavelmente irão persistir, de acordo com o site do Tropical Risk Storm (http://www.tropicalstormrisk.com/).

O Haikui forçou quase 270.000 pessoas nas Filipinas a deixarem suas casas, fazendo com que as autoridades fechassem escolas, mercados financeiros e escritórios.

(Reportagem da redação de Xangai; Texto de Kazunori Takada)

Tudo o que sabemos sobre:
CHINATUFAOHAIKUI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.