Quatro americanos são mortos no Iraque

Uma patrulha conjunta de americanos e iraquianos, que impunha um toque de recolher, entrou em choque com os seguranças que defendiam o quartel-general de um líder xiita, iniciando um tiroteio que deixou três americanos de 10 iraquianos mortos, informam o Comando Central dos EUA e testemunhas. Em Bagdá, um soldado americano da Brigada de Polícia Militar morreu e dois ficaram feridos na explosão de uma bomba.As quatro mortes fazem desta sexta-feira o dia mais sangrento para os americanos no Iraque em um mês. No dia 18 de setembro, três soldados haviam sido mortos numa emboscada. Desde que o presidente George W. Bush declarou o fim dos combates principais, já morreram 101 americanos em conflitos no Iraque.O tiroteio na cidade de Karbala começou quando autoridades iraquianas e soldados dos EUA foram investigar a denúncia de que homens armados estavam se reunindo nas proximidades da mesquita do Imã Abbas depois das 21h00, qunado tem início o toque de recolher.Malik Kazim, um pistoleiro que disse ter tomado parte na batalha, disse que a luta envolveu veículos blindados e jipes que passavam pela base de um alto líder religioso xiita, Mahmoud al-Hassani. O local era guardado por pelo menos 20 homens armados. Segundo Kazim, o emabte, que envolveu até mesmo granadas, durou cerca de meia hora e começou porque os americanos tentaram ?matar nosso mestre?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.