Atentados do Estado Islâmico matam 31 na capital do Iêmen

Mesquitas xiitas e o comitê do movimento rebelde Houthi foram os alvos dos ataques com carros-bomba

O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2015 | 15h15

SANAA - Quatro carros-bomba atingiram três mesquitas xiitas e a sede política do movimento xiita Houthi em Sanaa, capital do Iêmen, nesta quarta-feira, matando 31 pessoas e ferindo dezenas, informou uma autoridade de segurança. O Estado Islâmico assumiu a autoria dos ataques.

As explosões ocorreram enquanto forças lideradas pela Arábia Saudita realizavam novos ataques aéreos contra instalações militares dos houthis em todo o Iêmen e delegados que participam do segundo dia de conversações de paz na Suíça relatavam a falta de progresso da iniciativa das Nações Unidas, que tenta ao menos obter uma trégua durante o Ramadã, mês sagrado para os muçulmanos.

“Quatro carros-bomba tiveram como alvos o escritório político do (grupo) Ansarullah, a mesquita de Hashush, no distrito de Jiraf, a mesquita de Kibsi, no distrito de Zira e a mesquita de Qubat al-Khadra", afirmou um funcionário do governo. De acordo com a ONU, 2.600 pessoas morreram no Iêmen em um mês.

Mais cedo nesta quarta-feira, combatentes houthis no centro do Iêmen explodiram a residência de um político veterano, Abdel-Aziz Jubari, que se encontra em Genebra como membro da delegação do governo exilado.

O ministro iemenita das Relações Exteriores, Reyad Yassin Abdulla, declarou à Reuters em Genebra que as conversas de paz “não progrediram”.

Os houthis tomaram Sanaa em setembro e avançaram no centro e no sul do país, forçando o presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansur Hadi, e seu gabinete a se refugiarem em Riad. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
IêmenEstado IslâmicomesquitasSanaa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.