Quatro condenados em fraude revelada na destruição do WTC

Quatro sócios de uma corretora foram condenados por fraudar investidores em mais de US$ 100 milhões, num crime revelado depois da destruição do World Trade Center, em 11 de setembro de 2001. Cada um dos condenados poderá incorrer em sentenças de até 30 anos por conspiração, lavagem de dinheiro e fraude postal. As acusações tiveram origem numa investigação sobre uma corretora de Wall Street, a Evergreen International Spot Trading, que mantinha uma firma coligada, a First Equity Enterprises, sediada no WTC. Depois que as Torres Gêmeas foram destruídas, investidores começaram a telefonar para as autoridades perguntando se os funcionários da First estavam bem, e se o dinheiro investido estava seguro. ?Mas não havia dinheiro nenhum?, explicou a promotora Cynthia Monaco.A promotoria disse que as duas empresas, de propriedade de um russo, Andre Koudachev, foragido, fraudaram 1.400 investidores em todo o mundo, a maioria na Austrália e na Nova Zelândia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.