Quatro ex-ministros do rei nepalês são detidos por abuso de poder

Quatro ex-ministros do Gabinete do rei Gyanendra do Nepal foram detidos nesta sexta-feira acusados de abusos contra os direitos humanos durante as manifestações de abril a favor da democracia, indicaram fontes policiais.Trata-se dos ex-ministros de Interior Kamal Thapa, de Assuntos Exteriores Ramesh Nath Pandey, de Comunicações Sirish Shumshere Rana e de Desenvolvimento Local Tanka Dhakal, que foram detidos junto ao ex-vice-ministro de Saúde Nichya Schumshere.Todos foram "detidos e acusados de abuso de poder e deapropriação de fundos públicos durante seu mandato", disse um policial que não quis ser identificado.Os três ficarão presos durante um período de pelo menos três meses por suprimir os direitos do povo durante os protestos que acabaram com a decisão do rei nepalês de aceitar um Governo dirigido pela oposição e convocar em breve eleições para a formação de uma Assembléia Constituinte.O ministro do Interior tem no Nepal a possibilidade de utilizar fundos públicos à vontade, além de ser responsável pela lei e a ordem pública.O governo nepalês também suspendeu oito policiais e agentes de segurança nesta sexta-feira. O Chefe de Polícia, Shyam Bhakta Thapa, o Chefe da Polícia Armada Sahabir Thapa, Chefe do Departamento de Inteligência Nacional, Debi Sharma e cinco outros policiais que ordenaram uma ação policial contra centenas de manifestantes pró-democracia no mês passado. Um total de 19 pessoas morreu e cerca de 4 mil ficaram feridas quando as forças de segurança reprimiram a revolta popular de 19 dias, que acabou com o absolutismo do rei Gyanendra.O Governo nepalês criou uma comissão judicial para investigar o abuso da fora durante a revolta, que recomendou que sejam tomadas medidas contra os chefes do Exército e da Polícia pela supressão dos movimentos populares.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.