Quatro militares e seis rebeldes morrem nas Filipinas

Combate aconteceu perto do litoral da ilha de Basilan no sul do arquipélago

Efe,

02 de outubro de 2007 | 03h34

Quatro soldados da Armada filipina e seis supostos guerrilheiros morreram nesta terça-feira, 2, em um combate perto do litoral da ilha de Basilan no sul do arquipélago, informou a televisão local GMA. Outros dois soldados ficaram feridos no confronto que ocorreu no começo da manhã em uma pequena ilha nas proximidades de Basilan, a 980 quilômetros ao sul da capital, segundo o porta-voz da Armada, o tenente-coronel Ariel Caculitan. Os militares acreditam que os agressores eram membros do grupo radical islâmico Abu Sayyaf, que combate nessa ilha o Exército filipino há meses. Um número indeterminado de rebeldes continua entrincheirado nas montanhas de Basilan perto de Tipo-Tipo, a aldeia onde no dia 10 de julho dez soldados foram decapitados e mutilados, um massacre que causou o escândalo no país e precipitou a ofensiva contra a organização extremista. Desde então, cerca de 24 mil pessoas abandonaram suas casas em Basilan e na ilha vizinha de Jolo para escapar das operações militares que, por enquanto, tiraram a vida de mais de uma centena de pessoas, entre militares, rebeldes e civis, segundo as agências de ajuda humanitária. O Abu Sayyaf, fundado em 1991 por ex-combatentes da guerra do Afeganistão contra a União Soviética e vinculado à rede Al Qaeda, é considerado um grupo terrorista pelos governos de Washington e Manila, e alguns dos atentados mais sangrentos dos últimos anos nas Filipinas são atribuídos a ele.

Tudo o que sabemos sobre:
FilipinasconfrontoAbu Sayyaf

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.