Quatro países se retiram do tratado de defesa da OEA

Tiquipaya (Bolívia), 6 - Venezuela, Bolívia, Equador e Nicarágua anunciaram ontem que estão se retirando de um tratado de defesa regional que remonta à época da Guerra Fria. "Nossos países tomaram a decisão de enterrar o que merece ser enterrado, de jogar no lixo o que não é mais útil", disse Ricardo Patiño, ministro das Relações Exteriores do Equador, em referência ao Tratado Interamericano de Assistência Recíproca.

Agência Estado

06 de junho de 2012 | 01h10

Criado em 1947, o tratado nasceu sob a liderança dos EUA no início da Guerra Fria e foi considerado uma importante ferramenta com a qual Washington foi capaz de exercer influência sobre a América Latina até os anos 1980. O tratado prevê que os membros da Organização dos Estados Americanos (OEA) têm de defender uns aos outros quando atacados por uma força externa.

O anúncio do desligamento das quatro nações foi feito em uma reunião da OEA em Washington. Esses países já haviam tido problemas com a Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA, acusando-a de ser muito ligada aos EUA. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
OEAtratadodefesa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.