Umpi Welvaart/Reuters
Umpi Welvaart/Reuters

Quatro venezuelanos morrem em naufrágio a caminho de Curaçao

Barco partiu ao meio durante o trajeto; recentemente, o presidente Nicolás Maduro pediu a interrupção de todas as viagens aéreas ou marítimas para as ilhas de Curaçao, Bonaire e Aruba para prevenir o contrabando de bens nacionais

O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2018 | 04h26
Atualizado 11 Janeiro 2018 | 12h17

WILLEMSTAD, CURAÇAO - Quatro venezuelanos morreram enquanto tentavam chegar à Ilha de Curaçao, nas Antilhas Holandesas, depois que seu barco partiu ao meio durante o trajeto, apesar de a viagem ser proibida pelo governo da Venezuela, disseram autoridades e parentes dos passageiros na quarta-feira 10.

+ Adolescente é morto na Venezuela durante saque a caminhões que transportavam farinha e frango

Cidadãos venezuelanos frequentemente viajam para Curaçao em busca de trabalho ou produtos básicos que estão indisponíveis em meio ao colapso do sistema econômico da Venezuela.

+ Exportação do Brasil à Venezuela cai 63% por causa de caos no vizinho

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, ordenou na semana passada a interrupção de todas as viagens aéreas ou marítimas para as ilhas de Curaçao, Bonaire e Aruba para prevenir o contrabando de bens nacionais pelo que ele chamou de "máfias".

Duas mulheres e dois homens foram "encontrados na praia", disse Reginald Huggins, representante da Polícia de Curaçao à imprensa local. "Isso não foi um crime, eles não foram assassinados."

O barco saiu da costa oeste da Venezuela, mas partiu ao meio diversos quilômetros antes de chegar a Curaçao, disse um parente de um dos passageiros que estava a bordo da embarcação e sobreviveu. "Uma onda enorme quebrou o barco em dois. Na verdade, ele estava carregando passageiros demais", disse ele, que pediu anonimato. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.