Quatro soldados americanos feridos em ataque no Iraque

Indivíduos armados atacaram com lançadores de granadas um ônibus civil e um comboio militar dos EUA no Iraque, deixando pelo menos quatro soldados americanos feridos, dois deles gravemente, disse hoje um porta-voz militar. As forças armadas americanas informaram sobre novos ataques contra alvos americanos nesta segunda-feira. No primeiro dos dois ataques, "um indivíduo inimigo atacou com lança-granadas uma unidade da 4ª Divisão de Infantaria durante uma tentativa de emboscada no domingo, atingindo um ônibus com civis que estava ultrapassando o comboio militar perto do povoado de Al Mushahidah", a cerca de 25 km ao norte de Bagdá, disse um comunicado do comando militar americano.Pelo menos dois soldados americanos ficaram gravemente feridos no ataque, disse o capitão John Morgan, porta-voz militar americano em Bagdá. Os soldados responderam ao fogo "para proteger o comboio e um ônibus civil", disse um comunicado do Comando Central americano, indicando que "o número de baixas no ônibus civil é desconhecido até o momento". Também no domingo, atacantes com lança-granadas atingiram um comboio militar perto de Ad Dujayl, povoado a 55 km ao norte de Bagdá, ferindo levemente dois soldados, disse Morgan. "O comboio respondeu ao fogo e os atacantes abandonaram a área. Uma força de reação rápida foi destacada para garantir a segurança do comboio e perseguir os atacantes", disse a declaração. Os incidentes são os mais recentes de uma série de ataques contra as forças de ocupação americanas no Iraque. Em resposta, o exército dos EUA iniciou uma série de buscas em grande escala por todo o país, à procura de rebeldes e armas. "Os simpatizantes do velho regime continuam colocando em risco civis inocentes. As forças da coalizão continuarão isolando e derrotando os grupos de resistência sobreviventes, que atrasam a transição para um Iraque pacífico e estável", indicou a declaração do Comando Central. Qusai Taha, um comerciante de 33 anos em Ad Dujayl, disse ter escutado disparos quando estava em sua loja e que ao sair viu o último veículo do comboio de 15 unidades sendo atingido pelos tiros. Taha disse ter visto dois soldados americanos serem retirados do veículo e que ambos pareciam feridos. Posteriormente, disse Taha, dois iraquianos chegaram ao local em uma motocicleta e incendiaram o carro. Outras pessoas deram testemunhos similares. Militares americanos removeram hoje o veículo queimado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.