Quatro soldados da Otan são mortos no Afeganistão

Quatro soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), incluindo um tenente italiano de 37 anos, foram mortos hoje no Afeganistão por bombas colocadas à beira de estradas e por um ataque insurgente, informou a coalizão.

AE, Agência Estado

28 de fevereiro de 2011 | 11h56

Em Roma, o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, disse que quatro outros soldados italianos ficaram feridos, incluindo três com gravidade, na explosão de uma bomba 25 quilômetros ao norte do distrito de Shindand, na província de Herat, oeste do Afeganistão.

Berlusconi disse que o ataque fez com que ele pensasse se o sacrifício da Itália no Afeganistão valia a pena, visto que a nação é tão "medieval". Ainda assim, o premiê afirmou que a missão italiana no país deve continuar.

As forças da Otan pressionam para avançar sobre posições dos rebeldes no sul e leste do Afeganistão, com a meta de melhorar a segurança para que o governo afegão e a comunidade internacional possam trabalhar para o desenvolvimento do país.

Com essas mortes, subiu para 34 o número de membros da Otan mortos no Afeganistão este mês. Em janeiro, morreram 31 soldados. No ano passado, o mais violento na guerra (que já dura nove anos), 701 soldados estrangeiros foram mortos no país. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoOtanviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.