Quatro terremotos em 24 horas colocam Indonésia em alerta

Região é afetada por 30 abalos secundários desde quarta-feira; número de vítimas é incerto

Agências internacionais,

13 de setembro de 2007 | 08h10

Equipes de resgate se dirigiam para o litoral de Sumatra nesta quinta-feira, 13,  (quarta-feira no Brasil) após tremores abalarem a região depois que um forte terremoto matou pelo menos nove pessoas na noite de quarta-feira (horário local). O número de vítimas pode ser maior e a dificuldade de comunicação com a região atingida pode não revelar o real impacto dos tremores.   Veja também:  Terremotos atingem Indonésia e disparam alerta de tsunami  Japão emite novo alerta de tsunami para Indonésia e Austrália O primeiro tremor, de 8,4 graus de magnitude na escala aberta de Richter, surpreendeu na quarta-feira os habitantes do sul de Sumatra. Mais de 30 abalos secundários atingiram a região ao longo das últimas 24 horas, voltando a alimentar temores de um novo tsunami.   Houve um outro terremoto, por volta de 7h (horário de Brasília), na ilha de Sulawesi, a leste de Sumatra. Segundo a agência meteorológica da Indonésia, este terremoto teve intensidade de 6,4 e aconteceu em uma área distante da série de tremores que abalaram o sul da ilha. Um alerta de tsunami voltou a ser divulgado, mas já foi suspenso.   Os tremores posteriores ao terremoto mais forte trouxeram novamente o pânico aos moradores em Padang, capital de Sumatra Ocidental. A cidade foi jogada no caos e muitos a abandonaram após o primeiro terremoto, que segundo o  Centro Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês), foi o terremoto mais forte deste ano. "Muitos edifícios vieram abaixo depois do tremor desta manhã", disse o prefeito de Padang, Fauzi Bahar, a uma emissora de rádio local. "Ainda estamos tentando calcular o número de vítimas." "Minha família e meus vizinhos estão fugindo para lugares mais altos. Todos do lugar onde moro decidiram fugir", disse Eri Kamra, 35, morador de Padang. Segundo a BBC, autoridades de saúde em Jacarta afirmam que equipes estão levando comida e medicamentos para a região atingida. O presidente da Indonésia, Susilo Bambang Yudhoyono, determinou que o Exército e a polícia formem equipes de emergência para atuar na região afetada.   Uma equipe da Organização das Nações Unidas (ONU) também está sendo enviada ao local, segundo um comunicado do secretário-geral, Ban Ki-moon.   Abalo sísmico O tremor desencadeou um tsunami de proporções relativamente pequenas e abalos secundários, além de sacudir edifícios em Jacarta. Uma parede de água de aproximadamente três metros de altura atingiu Padang cerca de 20 minutos depois do terremoto. Foram emitidos alertas de maremoto para os países banhados pelo Oceano Índico. Edifícios mais altos sacudiram em pelo menos quatro países. Além da Indonésia, os efeitos foram sentidos em Cingapura, na Malásia e na Tailândia. O abalo também foi sentido em Jacarta, a capital da Indonésia, a cerca de 600 quilômetros do epicentro.   "Era possível ver a estrada ondulando, as pessoas mal conseguiam caminhar, por isso elas se deitavam no chão. Eu também consegui sentir o solo onde eu pisava se mexer como o mar", disse o jornalista indonésio Zulkifli Lubis à BBC.   Ao longo do litoral oeste da Indonésia, muitas casas foram danificadas ou desabaram. As linhas de comunicação e transmissão de energia elétrica estão rompidas em diversas regiões, dificultando a divulgação de informações sobre a real situação do local.   Um sismólogo australiano afirmou que a região teve sorte de ter escapado de um devastador tsunami após o tremor de Sumatra. "Houve um tsunami causado pelo terremoto, mas ele movimentou-se em uma direção para longe do continente", disse Mike Turnbull, da Universidade de Central Queensland. A Indonésia fica em uma das regiões de maior atividade sísmica do planeta e foi palco de diversas catástrofes naturais ao longo dos últimos anos, entre elas o tsunami do fim de 2004, no qual mais de 230 mil pessoas morreram ou desapareceram, 160 mil somente em Sumatra.  Na ocasião, as ondas gigantes foram desencadeadas por um terremoto de 9 graus na escala Richter ocorrido a 29 quilômetros de profundidade. A maioria das vítimas estava na província de Aceh.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoIndonésia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.