Queda de avião de carga mata 13 no Congo

Um avião Antonov carregando minério deestanho caiu pouco após decolar no leste do Congo nestedomingo, matando 13 pessoas. Autoridades e testemunhasdisseram, porém, que um jovem e um bebê sobreviveram. O piloto russo percebeu que tinha problemas no motor etentou voltar à pista de Kongolo, na Província de Katanga, masa aeronave colidiu no solo antes de atingir o aeroporto, disseà Reuters Jean-Claude Kapange, diretor local da agência deinformação do Ministério do Interior. Segundo ele, além do piloto, outros dois tripulantes eramrussos. O avião ia rumo a Goma (norte) e levava cerca de 9toneladas de cassiterita (óxido de estanho) e outros minerais.Goma serve como centro para exportação de minérios do leste dopaís. "Uma criança pequena e um passageiro de cerca de 20 anosforam resgatados antes que o avião pegasse fogo", disse FaustinLwamba, um morador que ajudou no resgate. Segundo ele, ambosforam levados para um hospital local. Lwamba acrescentou que asbuscas na floresta continuam, à procura dos corpos do piloto ede uma mulher. As riquezas minerais do Congo ajudaram a alimentar a guerracivil de 1998 a 2003 no país, conflito que arrastou exércitosde meia dúzia de nações africanas e que mobilizou vários gruposrebeldes e milícias, algumas das quais ainda aterrorizamvilarejos do leste congolês. Ativistas afirmam que a mineração de cassiterita e outrosminerais valiosos exploram moradores pobres, que são obrigadosa trabalhar por muito pouco em minas perigosas. A atividadetambém dá origem a conflitos pelo domínio das minas entreempresários e milícias. Os vôos transportando minério também geram temores desegurança. Autoridades locais suspenderam em junho vôos paraGoma de outra região de mineração em Walikale, na província deKivu do Norte, já que os aviões pousavam e decolavam de umaestrada enquanto uma pista vem sendo construída.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.