Queda de avião em área residencial mata pelo menos oito no Paquistão

Cargueiro com oito pessoas a bordo caiu logo depois de ter decolado do aeroporto de Karachi.

BBC Brasil, BBC

28 de novembro de 2010 | 07h12

Pessoas retiram pessoas do local do acidente em Karachi.

Pelo menos oito pessoas morreram na queda de um avião em uma área residencial de Karachi, a maior cidade do Paquistão, ocorrida logo depois da decolagem no aeroporto da cidade.

O acidente ocorreu na madrugada de domingo (início da noite de sábado, em Brasília) em Dalmia, uma área bastante populosa próxima à localidade de Gulistan-e-Johar, segundo a rede de TV paquistanesa Geo.

Os mortos, todos russos, eram a tripulação do cargueiro de fabricação russa que se dirigia a Cartum (capital do Sudão) que caiu em cima das casas próximas ao aeroporto. O combustível do avião incendiou as casas.

De acordo com o correspondente da BBC em Karachi Shoaib Hasan, se o avião tivesse caído apenas 500 metros a frente, teria atingido uma área ainda mais populosa.

Imagens de TV mostraram prédios em chamas e um fogo intenso no local da queda, para onde centenas de pessoas se dirigiram. Segundo correspondente da BBC, o fogo no ponto onde ocorreu o desastre ficou fora de controle.

"O avião foi partido em mais do que duas partes. Está completamente queimado, destruído, existem vários pequenos pedaços em chamas", disse à BBC Ayas Peer Mohammed, um militar reformado que mora em uma área residencial da Marinha próxima ao local.

Há apenas três semanas 23 pessoas morreram quando um avião caiu perto do aeroporto de Karachi. Em julho, outras 150 pessoas morreram em outra queda de avião, perto de Islamabad.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
paquistãokarachiaviaodesastrequeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.