Queda de avião mata 127 no Congo-Kinshasa

Pelo menos 127 pessoas morreram em um acidente aéreo no aeroporto internacional de Kisangani, região noroeste da República Democrática do Congo (ex-Zaire). Segundo informações do governo congolês, 57 pessoas conseguiram sobreviver à tragédia.

Afp, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2011 | 00h00

O desastre ocorreu com um Boeing 737 da empresa aérea congolesa Hewa Bora. A aeronave havia decolado da capital do Congo, Kinshasa, com destino a Goma e escala em Kisangani, onde encontrou problemas na hora do pouso. O Boeing teria tentado aterrissar na pista do aeroporto, mas acabou se chocando violentamente contra o solo e foi parar a cerca de 250 metros do local de aterrissagem, já em uma região de mata fechada.

Segundo testemunhas, uma densa fumaça negra encobria toda a fuselagem do Boeing 737. O aeroporto de Kisangani foi imediatamente fechado para pousos e decolagens.

A imprensa do país africano, citando fontes do governo, noticiou que o desastre aéreo foi causado pelas más condições climáticas. Uma forte tempestade atingia Kisangani enquanto o avião tentava pousar.

Com cerca de 1.200 empregados e 8 aviões em atividade, a empresa aérea Hewa Bora consta na "lista negra" das companhias proibidas de operar em países da União Europeia (UE). A restrição tinha sido imposta por Bruxelas pelas "dúvidas em relação às condições de segurança" da Hewa Bora.

Todas as empresas do Congo - cerca de 50 - estão proibidas de operar em aeroportos do bloco europeu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.