STR/EFE
STR/EFE

Queda de avião militar na Argélia em meio ao mau tempo mata ao menos 77

Ministério da Defesa diz que Hércules C-130 transportava 78 pessoas; 1 passageiro sobreviveu ao acidente aéreo, que é o maior do país desde 2003

O Estado de S. Paulo,

11 de fevereiro de 2014 | 11h17

(Atualizada às 23h20) ARGEL - Um avião de transporte do Exército da Argélia caiu na terça-feira, 11, na Província de Oum el-Bouaghi, a cerca de 500 quilômetros de Argel. O Ministério da Defesa afirmou que das 78 pessoas que estavam a bordo - 74 passageiros e 4 tripulantes -, 77 morreram. Uma sobreviveu e estava internada em estado grave. Um porta-voz das Forças Armadas e um jornal argelino afirmam que há mais de 100 vítimas.

O acidente aéreo foi o pior do país desde 2003, quando uma aeronave da companhia Air Algérie caiu pouco depois da decolagem e matou 102 pessoas. Até a noite de terça-feira, as equipes de resgate tinham retirado 55 corpos dos destroços.

O presidente da Argélia, Abdelaziz Bouteflika, decretou três dias de luto nacional e enviou seus pêsames para as famílias das vítimas. "Os soldados que morreram no acidente com o avião militar são mártires do dever", disse o líder por meio de nota divulgada pela agência oficial de notícias da Argélia.

Segundo o porta-voz do Exército argelino, as causas do acidente ainda estavam sendo investigadas, mas é provável que o mau tempo possa ter provocado a queda. "As buscas continuam, mas, até agora, só encontramos uma pessoa com vida", afirmou o coronel Farid Nechad, que coordena as equipes de resgate no local do acidente.

"Condições desfavoráveis de tempo e nevascas provavelmente estão entre as razões do acidente", também afirmou o Ministério da Defesa.

O avião, um Hércules C-130 da Lockheed, viajava de Tamanrasse, no sul do país, para Constantine, no norte. "Vi o avião caindo e partindo-se em dois", afirmou à Reuters um bombeiro do povoado de Ouled Gacem.

No momento do acidente, os ventos na região variavam entre 30 km/h e 50 km/h, segundo o site de aviação safety.net. Projetado no começo dos anos 50, o C-130 é um dos aviões militares mais usados no mundo. O modelo que sofreu o acidente, o C-130 H, foi produzido até 1996 e é utilizado em missões humanitárias e de transporte de tropas.

Diferenças. De acordo com o coronel Lahmani Buguern, responsável pela comunicação militar no leste da Argélia, a aeronave transportava 103 pessoas. Já o jornal El Watan, que chegou a publicar reportagens falando em 128 mortos, revisou o número, mas garantiu que há 74 mortos, um sobrevivente e 28 desaparecidos. O diário disse ainda que haveria crianças e mulheres entre as vítimas. Elas seriam parentes dos militares. / AP, AFP e REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
Argéliaqueda de avião

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.