Nasser Nasser/AP
Nasser Nasser/AP

Queda de balão no Egito mata 19 turistas estrangeiros

LUXOR, EGITO - Um acidente com um balão de ar quente que explodiu na cidade egípcia de Luxor nesta terça-feira, 26, deixou 19 estrangeiros mortos. Anteriormente, havia sido divulgado o número de 18 vítimas, mas foi registrada posteriormente a morte de um terceiro britânico, informou a operadora de turismo Thomas Cook. A vítima morreu após ter sido levada para um hospital.

AE, Agência Estado

26 de fevereiro de 2013 | 12h05

"Podemos confirmar que um passageiro da Thomas Cook infelizmente morreu", informou a operadora em comunicado. Já o Ministério de Relações Exteriores britânico não confirmou a morte dos três britânicos e disse apenas que "acreditamos que um pequeno número de cidadãos britânicos está envolvida no incidente em Luxor nesta manhã" e que os funcionários consulares ofereceram ajuda.

Foi um dos piores acidentes envolvendo turistas no Egito o que pode prejudicar ainda mais a indústria do turismo no país, já bastante afetada pela agitação política. Dentre os mortos há cidadãos da França, Reino Unido, Bélgica, Hungria, Japão e nove turistas de Hong Kong, afirmou o governador de Luxor, Ezzat Saad, a repórteres.

De acordo com um funcionário de segurança egípcio, o balão transportava pelo menos 20 turistas e o piloto quando pegou fogo enquanto voava sobre Luxor, provocando a explosão de seu botijão de gás, em seguida. O balão caiu de uma altura de pelo menos 300 metros em um canavial nos arredores do vilarejo de al-Dhabaa, a oeste de Luxor, 510 quilômetros ao sul do Cairo, disse a fonte, que preferiu não se identificar.

Os corpos dos turistas mortos foram espalhados por todo o campo em torno dos pedaços remanescentes do balão. O oficial afirmou que uma possível ação criminosa foi descartada.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Egitoacidente com balão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.