Queda de dominós lembrará o fim do muro de Berlim

Dominós gigantes pintados por estudantes alemães foram colocados ao longo da antiga rota do Muro de Berlim, neste sábado. A queda dos dominós será um dos eventos marcando o 20º aniversário da derrubada da barreira que dividiu a cidade por quase 30 anos. Muitos dos dominós, de plástico, com 2,3 metros de altura, têm mensagens como "somos um mesmo povo". Aproximadamente mil peças foram colocadas em 1,5 quilômetro de extensão e serão tombadas durante as celebrações.

AE, Agencia Estado

07 Novembro 2009 | 18h14

"Todos têm muros em suas cabeças de alguma maneira", disse um morador de Berlim, Stefan Schueler, que observava os dominós. "É bom que se possa rompê-los, parece-me que esse é um bom símbolo."

O ex-presidente polonês Lech Walesa, cujo movimento Solidariedade teve papel importante para o fim do comunismo no Leste Europeu, dará o primeiro empurrão para derrubar o dominó. A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e Dmitry Medvedev, o presidente russo, também estarão em Berlim para a celebração na segunda-feira.

A queda do muro ocorreu em 9 de novembro de 2009. A chanceler alemã, Angela Merkel, disse neste sábado que o evento "mudou as vidas de muitas pessoas, incluindo a minha". Merkel vivia na comunista República Democrática Alemã (RDA). Estima-se que 136 pessoas tenham morrido tentando cruzar o muro, em seus 28 anos de existência. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Alemanha Berlim muro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.