Queda de helicóptero deixa 17 mortos na Venezuela

Dezesseis soldados venezuelanos e um civil morreram na queda de um helicóptero em que o grupo viajava, perto da fronteira da Venezuela com a Colômbia, informou a agência de notícias estatal. Um general de brigada estava entre as vítimas. O presidente Hugo Chávez afirmou que os soldados estavam patrulhando a fronteira de 2.300 quilômetros que separa os dois países, quando a base militar local perdeu contato com o helicóptero Mi-35. A aeronave caiu na área montanhosa chamada El Capote, segundo a estatal Agencia Bolivariana de Noticias.

AE-AP, Agencia Estado

04 de maio de 2009 | 09h37

Não houve sobreviventes na queda. O general de brigada Domingo Alberto Feneite e Cristian Velázquez, um civil, estavam entre as vítimas. Chávez enviou suas condolências às famílias durante seu programa semanal, "Alô Presidente". "Morreram enquanto cumpriam seu dever e serviam à pátria", afirmou o presidente. Não foi informada a possível causa do acidente. Chávez lamentou que dezenas de soldados tenham morrido nos últimos anos, enquanto tentavam impedir que a violência do conflito armado na Colômbia se espalhe pelo território venezuelano. O presidente também rechaçou acusações dos Estados Unidos de que a Venezuela não faz o suficiente para patrulhar a fronteira.

Em uma avaliação anual divulgada na semana passada, o Departamento de Estado norte-americano afirma que a Venezuela "não vigiou sistematicamente" sua fronteira. O relatório afirmou que tanto insurgentes quanto paramilitares colombianos "cruzavam regularmente para o território venezuelano para descansar e reagrupar-se, assim como para extorquir dinheiro". Chávez voltou a reiterar que está disposto a atuar como mediador no conflito colombiano.

Tudo o que sabemos sobre:
Venezuelahelicópteroqueda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.