Queda de helicóptero russo é atribuída a rebeldes

A queda de um helicóptero em que morreram 114 militares russos na Chechênia provavelmente foi causada por um ataque dos rebeldes a partir do solo, afirmou nesta terça-feira o procurador geral russo, e uma agência de notícias informou que se encontrou um lança-mísseis próximo do local do desastre. O incidente, ocorrido na segunda-feira perto do quartel militar russo de Khankala, foi descrito pelos meios de comunicação como o pior desastre aéreo militar russo. "Estamos investigando várias teorias sobre a causa deste incidente, mas consideramos que a principal delas é a de ataques a partir do solo", disse o procurador geral Vladimir Ustinov, segundo a agência de notícias russa Interfax. Citando uma fonte anônima no quartel de Khankala, a Interfax informou que os investigadores encontraram um lançador de mísseis antiaéreos Strela que supostamente foi usado para derrubar o helicóptero Mi-26. Na segunda-feira, os rebeldes chechenos afirmaram que haviam derrubado o aparelho."Houve um relâmpago à direita, perto da turbina, depois uma explosão, e depois uma nuvem de querosene negro cobriu tudo", disse Sergei Shishayev, um soldado que sobreviveu ao choque, à televisão RTR, falando de sua cama no hospital. "Senti como se estivesse sonhando, e em seguida desmaiei". De início, as autoridades deram informações muito discrepantes sobre quantas pessoas iam a bordo do helicóptero e quantos haviam morrido. Hoje à noite (hora local), porém, o ministro da Defesa, Sergei Ivanov, disse que das 147 pessoas que estavam a bordo, 114 morreram - entre estas, um menino que viajava com sua mãe, uma enfermeira do Exército. Os cinco tripulantes sobreviveram. Entre os passageiros havia oficiais, recrutas e soldados profissionais que voltavam de seu período de licença ou que seguiam para a Chechênia para substituir unidades que seriam transferidas para outra região, informou a televisão estatal. A caixa preta do helicóptero foi encontrada e levada para a base de Mozdok, nas proximidades, para ser examinada, disse a agência Interfax. Segundo a imprensa, as gravações foram muito danificadas. O presidente russo, Vladimir Putin, declarou dia de luto nacional na quinta-feira, pelos mortos no incidente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.