Queda de Mubarak gera onda de comemorações no mundo islâmico

Libaneses soltam fogos em Beirute e milhares de tunisianos saem às ruas para comemorar

Estadão.com.br

11 de fevereiro de 2011 | 16h07

 

 

 

BEIRUTE - Fogos de artifício foram soltos nesta sexta-feira, 11, na capital do Líbano assim que foi anunciada a renúncia do presidente egípcio Hosni Mubarak.

 

Veja também:

especialInfográfico: A lenta agonia de Hosni Mubarak

som TV Estadão: Veja imagens dos protestos na praça Tahrir

documento Artigo: De que lado está o Exército egípcio?

blog Radar Global: Personagens, curiosidades e análises da crise

 

Na al-Manar, a rede de televisão do Hezbollah, o locutor egípcio Amr Nassef chorou e exclamou "Deus é Grande! O faraó está morto. Estou sonhando? Tenho medo de estar sonhando!"

 

Em Gaza, o movimento islamita Hamas comemorou a renúncia de Mubarak, com quem sempre manteve tensas relações, e pediu que o novo governo egípcio ajude os palestinos, especialmente contra o cerco israelense à Faixa de Gaza.

 

"Este é o princípio da vitória do povo e da revolução egípcia", disse à imprensa um de seus porta-vozes, Sami Abu Zuhri.

 

Na Tunísia, milhares de cidadãos saíram às ruas exultantes na capital, e centenas de motoristas buzinam sem cessar após a queda Mubarak, no que representa a primeira celebração festiva dos tunisianos desde que puseram fim ao regime de Ben Ali, segundo constatou a Agência EFE.

 

A avenida Habib Burguiba, a principal artéria do país, ficou abarrotada de milhares de pessoas que dançam e expressam sua alegria pela queda do presidente egípcio, quase um mês depois da fuga do líder tunisiano no dia 14 de janeiro.

 

O governo do Qatar disse que a transferência do poder para um conselho militar é um "passo positivo e importante" para alcançar a democracia no Egito e concretizar os anseios de sua população.

 

Já a Liga Árabe saudou o que chamou de "revolução branca". O secretário geral da organização, o egípcio Amr Moussa, disse que está "ansioso para construir um consenso nacional no futuro."

 

"HÁ grandes chances agora e uma janela foi aberta depois desta revolução branca e da concessão do presidente", disse. Entretanto, não falou se está interessado em assumir a presidência do país. " Não é o momento para falar sobre isso."

 

O governo da Turquia disse esperar que o novo poder que surgir no Egito após a renúncia do presidente Hosni Mubarak responda às expectativas do povo.

"Parabéns ao povo egípcio. O povo egípcio expressou sua vontade através de uma longa luta", disse o ministro de Exteriores turco, Ahmet Davutoglu, na cidade georgiana de Batumi.

 

"Esperamos que o sistema que se forme agora seja capaz de responder às reivindicações do povo", acrescentou em umas declarações anunciadas pela emissora de notícias "NTV".

 

Horas antes do anúncio da renúncia, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad disse que o levante popular egípcio anunciou o surgimento de um novo Oriente Médio islâmico, onde não há sinais de "interferência" de Israel ou dos os Estados Unidos.

 

Leia mais:

linkRevolução derruba Hosni Mubarak no Egito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.