Queijo parmesão, uma briga entre a Europa e o mundo

O bate-boca entre representantes da União Européia e de países de fora do bloco chegou a um ponto insustentável ? os europeus insistindo em que queijo parmesão é só o produzido em Parma. Por isso, as conversações na FAO, órgão da Organização das Nações Unidas para alimentação, sobre o padrão para o queijo parmesão tiveram de ser suspensa, hoje, por um ano, segundo funcionários da FAO.A Comissão do Codex Alimentarius, que estabelece padrões de qualidade e segurança para os alimentos, decidiu suspender temporariamente as negociações depois que se tornou claro que o encontro fora polarizado entre a UE e os países que alegam que também têm direito a fabricar o queijo. Essa é uma discussão que já se arrasta há quatro anos.As regulamentações da UE estipulam que apenas o queijo produzido na e em torno da cidade de Parma, na Itália, pode ser identificado como Parmigiano-Reggiano. Não satisfeitos, os 25 países do bloco europeu alegam que ?parmesan? é a tradução inglesa do nome e do mesmo modo não poderá ser usada.Os opositores, liderados pelos Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia, dizem que parmesão tornou-se o nome genérico de queijos duros que podem ser ralados. Portanto, pode ser usado em qualquer ligar.?O parmesão é produzido por muitos países e comercializado em larga escala em todo o mundo?, afirmaram esses países na subcomissão que começou a reunir-se, para esta última rodada de conversações, na segunda-feira.Como os padrões existentes para os queijos brie, emmental e provolone, a comissão procura estabelecer normas de aparência e composição para o produto, incluindo teor de gordura, seja qual for o fabricante.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.