Quem apoiar guerra tem de assumir responsabilidade, diz Vaticano

O Vaticano informou que os países que decidirem apoiar uma guerra contra o Iraque sem o consenso global devem assumir as responsabilidades perante Deus e a história, enfatizando que o Papa João Paulo II não endossa essas ações. "Aqueles que decidirem que todos os caminhos pacíficos que as leis internacionais permitem se esgotaram têm de assumir as responsabilidades diante de Deus, de suas consciências e da história", afirmou o porta-voz do Vaticano, Joaquin Navarro-Valls. O comentário de Navarro-Valls foi a primeira reação oficial do Vaticano ao ultimato dado pelo presidente dos EUA, George W. Bush, ao presidente do Iraque, Saddam Hussein. Os últimos desdobramentos representam um golpe para o Papa João Paulo II, que tem feito uma intensa campanha diplomática contra a ameaça dos EUA de liderarem um ataque ao Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.