EFE/EPA/DANIEL DAL ZENNARO
EFE/EPA/DANIEL DAL ZENNARO

Quem é a ativista que roubou a cena nas eleições italianas

Melodie Mousavi Nameghi, de 29 anos, é francesa de origem iraniana e voou de Paris para Milão especificamente para protestar contra Silvio Berlusconi; sem antecedentes criminais, ela responderá por resistência à autoridade e desordem em zona eleitoral

O Estado de S.Paulo

05 Março 2018 | 12h05

MILÃO - Em um dia tumultuado na Itália com eleições legislativas para a formação de um novo Parlamento, a ativista francesa de origem iraniana Melodie Mousavi Nameghi, de 29 anos, roubou a cena no domingo ao protestar, com os seios à mostra, contra o ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi.

Itália enfrenta incerteza política após avanço eleitoral de partido antissistema

A jovem, membro do grupo "Femen", viajou de Paris para Milão especialmente para fazer o protesto. Ela desembarcou no aeroporto italiano de Malpensa às 8h45 e logo se dirigiu à rua Scrosati, onde fica a seção 502, zona eleitoral de Berlusconi. Com uma carteirinha de imprensa "freelancer", a ativista conseguiu entrar na sala de votação, onde estavam dezenas de jornalistas aguardando o ex-premiê, líder do partido de centro-direita Forza Itália e político com mais tempo no governo italiano.

Melodie esperou Berlusconi se aproximar da urna para subir em uma mesa e tirar a blusa. Em seu torso, estava escrita a mensagem "Berlusconi, seu tempo acabou". O ex-premiê, de 81 anos e envolvido em uma série de processos judiciais e escândalos sexuais, não demonstrou abatimento.

"Foi uma aparição, não sei o que aconteceu. Um fantasma, não sei, não vi nada. Meu tempo acabou? Ah, tem razão, meu tempo na fila de espera acabou, ela quis dizer", ironizou Berlusconi.

Cenário: Políticos exploram sentimento contra imigração do eleitor italiano

A ativista foi detida e responde por resistência à autoridade e por ter provocado desordem em zona eleitoral. Ela não tem antecedentes criminais. Durante as eleições de 2013, Berlusconi, também fora alvo de outra manifestação de ativistas do Femen, mas elas não conseguiram entrar na zona eleitoral. Daquela vez, o protesto foi conduzido por Inna, Oksana e Elvire, que escreveram "Basta Berlusconi" no peito. / ANSA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.