Musk: Hannibal Hanschke/Reuters | Jack: Linkedin/Reprodução | Putin: Alexei Nikolsky/Sputnik Kremlin Pool via AP
Musk: Hannibal Hanschke/Reuters | Jack: Linkedin/Reprodução | Putin: Alexei Nikolsky/Sputnik Kremlin Pool via AP

Quem é o jovem que irritou Elon Musk e agora caça voos de oligarcas russos

Jack Sweeney também monitora aviões da NASA e da Força Aérea dos Estados Unidos, de bilionários norte-americanos e de celebridades artísticas

Natália Santos, O Estado de S.Paulo

07 de março de 2022 | 11h03

Aos 19 anos, o calouro da Universidade da Flórida Central, Jack Sweeney, tem chamado a atenção dos interessados por dados abertos e celebridades. Após os ataques russos à Ucrânia, o jovem criou um bot no Twitter que monitora os aviões particulares de oligarcas russos, aliados de Vladimir Putin, além dos voos do próprio presidente da Rússia. 

Essa não é a primeira vez que Sweeney ganha fama pelo seus monitoramentos. O jovem tem rastreado desde junho de 2020 a aeronave N628TS, que ele identificou como o jato particular do presidente-executivo da Tesla, Elon Musk. Desde então, o calouro tem divulgado os mapas de seu paradeiro e informações do trajeto em uma conta famosa no Twitter, que tem hoje mais de 397 mil seguidores. Na época que o bot nasceu, Musk chegou a oferecer US$ 5 mil para que Sweeney desativasse a conta, mas a proposta não foi em frente.

Agora, o foco de Sweeney tem sido os aviões de oligarcas russos e aeronaves associadas ao presidente russo Vladimir Putin. O calouro colocou no ar dois novos bots do Twitter após o primeiro final de semana da guerra da Ucrânia: o @RUOligarchJets, focada nos magnatas russos, e @Putinjet, focada no presidente russo. Juntas, as contas somam mais de 500 mil seguidores até a manhã desta segunda-feira, 07.

O bot @RUOligarchJets de Sweeney segue aviões de propriedade de Roman Abramovich, magnata do aço e dos metais e ex-comandante do Chelsea Football Club da Inglaterra; de Leonid Mikhelson, diretor e co-proprietário da Novatek, maior produtora independente de gás da Rússia; do empresário Alisher Usmanov, frequentemente citado na lista dos homens russos mais ricos e também um dos primeiros investidores do Facebook e da empresa chinesa de eletrônicos Xiaomi; dentre outros nomes.

Usmanov agora está entre os 26 funcionários e empresários russos que tiveram seus bens congelados como sanção da União Europeia para punir a economia da Rússia. 

Jack Sweeney conta que quando os ataques russos começaram, ele recebeu mensagens de seguidores pedindo que ele fizesse um monitoramento focado nos oligarcas russos. Essa foi a faísca que ele precisava para começar as buscas pelos nomes e pelos números dos aviões da elite russa.

O cruzamento de dados utilizado por Sweeney para os bots russos é o mesmo do monitoramento de Musk: dados públicos de transponders de aviões que registram longitude, latitude e altitude e calculam a localização com base em um algoritmo criado por ele mesmo em 2020. Esses registros públicos foram encontrados no site ADS-B Exchange, que se autointitula como a maior fonte pública mundial de dados de voos não filtrados.

Trabalho de longa data

Sweeney já possui 21 contas para monitoramento de aviões particulares dentre eles há bots para rastrear todos os aviões da NASA e da Força Aérea dos Estados Unidos além dos jatinhos particulares do empresário e ex-CEO da Amazon, Jeff Bezos; do magnata e empresário da Microsoft, Bill Gates; do ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e de celebridades artísticas como a apresentadora Oprah Winfrey e o ator Jim Carrey. /Com informações do W.POST

 

Tudo o que sabemos sobre:
Jack SweeneyElon MuskRoman Abramovich

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.