Quênia detém suspeitos de extremismo perto da Somália

Um oficial da polícia do Quênia disse que as forças de segurança detiveram seis adolescentes quenianos e um homem nigeriano, que viajavam com passaportes britânicos e supostamente tentavam chegar à Somália, onde se juntariam à rede fundamentalista Al-Shabab.

AE, Agência Estado

23 de novembro de 2010 | 14h39

O chefe da polícia da Província Costeira, Leo Nyongesa, disse que o grupo foi detido no último domingo, na ilha de Kizingitini, perto da Somália, depois que um informante disse que os sete foram recrutados pela Al-Shabab. A Al-Shabab é o maior grupo extremista islâmico da Somália.

A organização reivindicou responsabilidade por um ataque a bomba em Uganda, o qual matou 76 pessoas em julho deste ano. O grupo tem conseguido recrutar com eficiência vários somalo-americanos que vivem nos Estados Unidos. A Somália é considerada um "Estado falido" sem governo efetivo desde 1991. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
QuêniaSomáliaterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.