Quênia: Mais 3 pessoas são presas por ligação com ataque à universidade

O porta-voz do Ministério do Interior do Quênia, Mwenda Njoka, disse que cinco pessoas foram presas até agora por suspeita de envolvimento no ataque à Universidade de Garissa, na última quinta-feira, no qual 148 pessoas foram mortas.

Estadão Conteúdo

04 de abril de 2015 | 10h05

Njoka afirmou, no Twitter, que as agências de segurança prenderam três pessoas que tentavam atravessar a Somália. Segundo ele, os três suspeitos teriam ligação com Mohamed Mohamud, conhecido também como Dulyadin Gamadhere. Ele é um ex-professor da escola islâmica Madrassa, no Quênia, que, segundo autoridades, teria coordenado o ataque à universidade.

Com a prisão dos outros três suspeitos, o número de pessoas detidas relacionados ao ataque subiu para cinco. Os outros dois suspeitos foram presos na universidade. As autoridades quenianas ofereceram uma recompensa de US$ 220 mil por informações que possam ajudar a encontrar os participantes no ataque. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Quêniaataqueprisãosuspeitos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.