Quênia promove uma Tea Party de verdade

TALKING POINTS MEMORY

, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2010 | 00h00

Alguém na embaixada queniana em Washington sabe aproveitar o marketing alheio. Um convite do governo do país africano circula na capital americana com a seguinte mensagem: "O governo do Quênia, o maior exportador mundial de chá, cordialmente convida você para uma verdadeira Festa do Chá (Tea Party, em inglês) no Capitólio." O convite, desenhado nas cores marrom, verde e vermelho, marca a degustação "sem agenda política" para a próxima terça-feira, entre 12h30min e 13h30min, no centro de visitantes do prédio do Senado. Os participantes terão a oportunidade de provar comidas típicas na companhia do "honorável" Uhuru Kenyatta, o vice-premier do país, e participar da leitura da sorte feita a partir da forma das folhas de chá no fundo da xícara. O cartão satiriza o movimento Tea Party, nome do grupo político conservador que ganhou força nos últimos meses nos EUA ao associar o presidente Barack Obama ao socialismo. Ao final, o convite reforça sua vantagem em relação ao original: "O Capitólio finalmente terá uma Tea Party que servirá chá."

LA NACIÓN

Eleição cubana usará pombos-correio

Mais de oito milhões de cubanos escolherão domingo os vereadores e prefeitos de 169 municípios da ilha. Como em muitas regiões a comunicação está sucateada ou a chegada de cabos é difícil (caso da serra), os organizadores lançarão mão de um antigo modelo de transmissão sem fio: pombos-correio. Cada distrito eleitoral isolado contará com seis pássaros para vão atualizar a apuração. Apenas na província de Holguín, no sul da ilha, foram arregimentados 500 pássaros.

BBC

Britânica pega sotaque chinês após enxaqueca

A inglesa Sarah Colwill sofre de uma doença que afeta apenas 20 pessoas no mundo. Após uma enxaqueca, ela passou a falar inglês com um sotaque chinês. Segundo um especialista em fonética de Oxford, trata-se de uma síndrome provocada por derrames ou lesões na parte do cérebro que controla a fala e a pronúncia. "Estou falando em um tom muito mais agudo, desafinado. Quando ligo para meus amigos, muitos batem o telefone na minha cara pensando que é trote", afirmou. "É muito frustrante."

THE NEW YORK TIMES

Corte libera vídeos com castigos a animais

Não foi suficiente o apelo dos ambientalistas. A Suprema Corte americana decidiu esta semana que proibir vídeos com crueldade contra animais é uma afronta à liberdade de expressão. Ambientalistas temem que a decisão estimule os castigos a animais. Por 8 votos a 1, o tribunal inocentou um homem sentenciado a três anos por colocar na internet imagens de brigas de pitbulls. O voto dissidente partiu do juiz Samuel Alito, dono de um cocker com que sua mulher passeia ao redor do tribunal. Ao final da sessão, Alito estava inconformado: "Na prática, a decisão legalizará a venda destes vídeos", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.