Quênia vai comprar drogas antiaids do Brasil

O parlamento queniano aprovou, nesta terça-feira, por unanimidade, uma lei que permite a compra de medicamentos contra a aids do Brasil a preços mais baixos, convertendo-se, assim, no segundo país, depois da África do Sul, a adotar uma legislação deste tipo.A lei permite a compra de medicamentos genéricos diretamente dos governos, sem necessariamente ter de adquiri-los das companhias farmacêuticas internacionais, que têm o direito sobre a fabricação e cobram preços muito altos.Os deputados aprovaram também a distribuição de remédios genéricos doados pelo Brasil e que, com um valor simbólico, foeam entregues a um orfanato do bairro de Nyumbani, em Nairóbi, que cuida de crianças soropositivas.Até agora, no Quênia, um dos países mais pobres do mundo, praticamente nenhum paciente tinha condições de comprar os medicamentos para combater a aids devido aos altos preços. Com a nova lei, a situação deverá melhorar, segundo analistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.