Quenianos chegam a acordo sobre gabinete compartilhado

Governo formado por partido da situação e oposição deve ser anunciado no domingo

Reuters,

12 de abril de 2008 | 16h14

O presidente queniano, Mwai Kibaki, e o líder da oposição, Raila Odinga, chegaram a um acordo sobre um gabinete compartilhado durante uma reunião secreta neste sábado, 12, após um impasse de seis semanas, segundo fontes próximas às negociações. "Há um acordo e o governo o anunciará amanhã (domingo)", disse uma das duas fontes que confirmaram o fim do impasse à Reuters. Um diplomata, sob condição de anonimato, afirmou que o acordo foi alcançado e que seria anunciado no domingo. A formação de um gabinete compartilhado entre situação e oposição era o elemento essencial no acordo para encerrar a crise pós-eleitoral no país africano, na qual 1.200 pessoas morreram e mais de 300 mil foram desalojadas. Não havia detalhes imediatos sobre a composição ou o tamanho do gabinete nem a respeito de eventuais renúncias em ministérios influentes. Os porta-vozes do Movimento Democrática Laranja (ODM, em inglês), de Odinga, e o governo não quiseram comentar o assunto. Os dois líderes haviam concordado em anunciar um governo de coalizão com 40 integrantes no dia 6 de abril, porém não cumpriram o prometido, provocando receios nos quenianos e em investidores sobre o retorno da violência. Na última semana, Kibaki e Odinga pediram calma e disseram que as posições defendidas por cada um não eram tão diferentes. No entanto, ambos se recusaram a avançar, atribuindo a responsabilidade ao outro. A disputada reeleição de Kibaki no final do ano passado foi o motivo do início da violência no país.

Tudo o que sabemos sobre:
quênia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.