REUTERS/Jon Nazca
REUTERS/Jon Nazca

Questão de Gibraltar no Brexit ainda não tem solução, diz Merkel

Madri alega que texto do acordo prévio deixa ambígua a garantia de que nenhum acordo futuro entre a UE e o Reino Unido poderá ser aplicado a Gibraltar sem aceitação dos espanhóis; chanceler alemã espera solucionar reserva feita pela Espanha até domingo

O Estado de S.Paulo

21 Novembro 2018 | 11h09

BERLIM - Em discurso no Parlamento alemão nesta quarta-feira, 21, a chanceler Angela Merkel manifestou sua esperança de chegar antes de domingo a uma solução para o problema colocado pela Espanha no acordo do Brexit a respeito de Gibraltar, mas admitiu que não sabe como a questão será resolvida.

"A Espanha continua colocando reservas (sobre o acordo de divórcio com o Reino Unido). Não posso realmente dizer como vamos resolver este assunto. Mas espero que esteja resolvido até domingo", acrescentou a chefe do governo alemão em uma intervenção sobre o Brexit.

No momento em que a negociação do Brexit se encontra em uma semana decisiva para a aprovação dos presidentes europeus em uma cúpula no domingo prévia ao processo de ratificação, a Espanha ameaçou não apoiar o acordo se seu problema não for resolvido.

Suas críticas se concentram no artigo 184 sobre a negociação da futura relação comercial e política entre o Reino Unido e os 27 países-membros do bloco econômico. Para Madri, não explicita que estes últimos lhe deram um direito de veto sobre a futura relação com Gibraltar.

Em suas primeiras orientações políticas em abril de 2017, que servem de base para a negociação liderada pela Comissão, os 27 estabeleceram que, após o Brexit, "nenhum acordo entre a UE e o Reino Unido poderá ser aplicado no território de Gibraltar sem o acordo" da Espanha.

A Espanha, que garante ter tomado conhecimento da redação deste artigo na última quarta-feira, reivindica do negociador europeu que seja modificado para introduzir a especificidade de Gibraltar, ou o uso de outro "instrumento" - nas palavras do chanceler espanhol, Josep Borrell - que tire a "ambiguidade" do texto.

A ofensiva lançada pela Espanha na UE é incomum para um país tradicionalmente alinhado com os planos da Comissão. "Os espanhóis são sérios. Não é uma brincadeira, mas vamos encontrar uma solução", disse um diplomata europeu na noite de terça-feira.

"Seguimos os últimos acontecimentos com crescente preocupação e incompreensão. Entre os 27 membros da UE, nossos amigos espanhóis estão sozinhos nisso", afirmou nesta quarta outro diplomata da UE. Reabrir o texto negociado com Londres "levaria à ruptura de todo acordo", completou o diplomata.

Gibraltar, território de cerca de 30 mil habitantes situado no extremo sul da Península Ibérica, pertence ao Reino Unido desde 1713, mas Madri reclama sua soberania há anos. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.