Rick Wilking/Efe
Rick Wilking/Efe

Questão do ataque na Líbia foi decisiva para vitória de Obama em debate

Enquanto presidente se mostrou seguro, 'após essa pergunta, Romney chegou até a gaguejar', diz analista

Fernanda Simas,

17 de outubro de 2012 | 00h45

Em um debate dominado por perguntas relacionadas a questões econômicas, o presidente dos EUA, Barack Obama, conseguiu superar a performance ruim que teve no primeiro debate presidencial e superou Mitt Romney, tornando a disputa pela Casa Branca ainda mais equilibrada. "Obama soube explorar melhor as perguntas e se saiu melhor na postura de corpo, na segurança ao falar", diz o professor do curso de Relações Internacionais da Unifesp Flávio Rocha.

Veja também:

tabela ESPECIAL: eleições nos EUA

blog Minuto a minuto do segundo debate presidencial

O presidente democrata se sobressaiu a partir da pergunta sobre a morte do embaixador dos EUA na Líbia John Christopher Stevens. "Após essa pergunta, Romney chegou até a gaguejar. O Obama se mostrou seguro ao dizer 'o chefe de Estado não pode usar isso politicamente' e as declarações de Romney na época foram consideradas fiascos por analistas de política externa", explica Rocha.

Ainda sobre esse assunto, o presidente dos EUA assumiu a responsabilidade pelo ataque a embaixada em Benghazi e voltou a dizer que os culpados serão punidos. "Eu sou o presidente e sempre sou responsável. Por isso, ninguém mais do que eu quer saber exatamente o que aconteceu e vou cumprir o que digo: os culpados serão punidos."

Preocupações

No segundo debate entre os candidatos as perguntas foram feitas por eleitores indecisos e, na opinião do professor Rocha, demonstraram as atuais preocupações dos eleitores norte-americanos. "Os debates estão refletindo o que está na cabeça dos eleitores. As questões estiveram mais focadas em empregos, economia, pouco se viu sobre segurança internacional ou até a crise na Europa". A morte de Osama Bin Laden, por exemplo, algo muito comentado por americanos, não foi abordada em nenhuma pergunta, apenas em comentários do presidente.

Rocha afirma que durante este debate Romney disse frases mais impactantes sobre as promessas econômicas que pretende cumprir se for eleito, enquanto Obama foi mais cauteloso e apresentou propostas alternativas de investimento, por exemplo. "Romney fez uma promessa complicada quando disse ter o plano de alcançar a independência energética nos próximos cinco anos. A qual custo? O Obama citou que é importante melhorar o uso energético e com isso ele mira no eleitorado preocupado com o meio ambiente."

América Latina

A América Latina foi citada no debate apenas uma vez quando Romney citou que é possível melhorar o comércio e fazer acordos com os países latino-americanos. "No entanto, é preciso lembrar que quando a economia vai mal, se o país (EUA) precisar usar medidas protecionistas, ele vai usar. Então, esse cenário vai depender de como estará a economia interna dos EUA", afirma Rocha.

Pesquisas

Para o professor Rocha, os debates só mudarão o rumo da eleição em um cenário no qual haja um grave problema econômico ou internacional que mude a visão do eleitorado.

Após o debate desta terça-feira, uma pesquisa de observadores da CNN apontou que 46% das pessoas consideraram Obama como o vencedor da noite e 39%, Romney, sendo que a margem de erro é de 4,5%.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.