Questão do Oriente Médio é de segurança e não de Arafat

O ministro espanhol de Relações Exteriores, Josep Piqué, pediu nesta quinta-feira a todas as partes interessadas no conflito do Oriente Médio que deixem de lado as dúvidas sobre a legitimidade de Arafat como líder palestino e se concentrem nos temas de segurança. Os comentários de Piqué, cujo país ocupa a presidência rotativa da União Européia, foram formulados horas antes de o primeiro-ministro israelense, Ariel Sharon, encontrar-se na Casa Branca com o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush. O líder israelense disse que pedirá a Bush que cesse todos os contatos com Arafat, a quem Israel responsabiliza pelos atentados e ataques palestinos. Piqué disse que a questão do Oriente Médio não deve se "centralizar no debate sobre a legitimidade ou não, ou a capacidade de interlocutor do presidente Arafat mas, sim, deve-se ver como se pode sair do impasse da atual situação, como sair do bloqueio, em que só se trata de temas de segurança que se rompem permanentemente devido às atuações dos inimigos do processo de paz de um lado e de outro". Piqué destacou ainda que nos últimos dias o governo israelense realizou vários ataques na Cisjordânia e na Faixa de Gaza, "que também condenamos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.