Questionada autenticidade de relatório contra Bush

Dois dias depois de exibir relatórios segundo os quais George W. Bush foi proibido de pilotar durante o tempo em que prestou serviço militar na Guarda Aérea Nacional do Texas, a rede de TV CBS tratava hoje de desmentir acusações de que a reportagem se baseou em documentos falsos. O programa 60 Minutes mostrou na quarta-feira documentos que, supostamente, teriam sido escritos pelo tenente-coronel Jerry Killian e que sugerem que Bush descumpriu obrigações militares e desempenhou mal as funções de piloto. Killian, que morreu em 1984, também fazia referências a pressões políticas para melhorar o relatório anual sobre o serviço militar de Bush - que, ao servir na Guarda Nacional, escapou de lutar no Vietnã.A viúva de Killian, Marjorie Connell, questionou a autenticidade dos documentos, dizendo que o marido admirava o jovem Bush, a quem considerava "um excelente piloto". Sites da internet também puseram em dúvida a autenticidade dos documentos, argumentando que a tipologia parece corresponder à de um computador, e não de uma máquina de escrever dos anos 70.Com a liderança nas pesquisas ampliada após a Convenção Nacional Republicana, Bush parece ter convertido um de seus pontos fracos no campo político - a guerra no Iraque - numa dor de cabeça para seu rival democrata, o senador John Kerry. A pesquisa ABC/The Washington Post mostra que o presidente é o preferido de 53% dos americanos para administrar o conflito, enquanto Kerry é o favorito apenas para 37%.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.