Quirguistão anuncia fim da última base dos EUA na Ásia Central

Fechamento se deve à rejeição popular e motivos econômicos; arrendamento apoiava operações no Afeganistão

Efe,

03 de fevereiro de 2009 | 17h42

O presidente do Quirguistão, Kurmanbek Bakiev, anunciou nesta terça-feira, 3, o fechamento da base aérea de Manas, a última dos Estados Unidos na região da Ásia Central. Bakiev fez o anúncio após uma reunião com o presidente russo, Dmitri Medvedev, na qual firmaram diversos pactos de auxílio financeiro ao país centro-asiático, informou a agência oficial Itar-Tass. A base servia para operações no Afeganistão.   "O governo decidiu suspender o emprego da base de Manas por parte das forças da coalizão internacional", assegurou o líder quirguiz, segundo a agência. Bakiev explicou que o fechamento se devia tanto à rejeição popular à presença de soldados estrangeiros em território quirguiz como por motivos econômicos, apesar de o arrendamento pago pelos americanos para usar a base renda várias dezenas de milhões de dólares.   "Em 2001, o Quirguistão cedeu seu território para a luta contra o terrorismo internacional. Então, se falava apenas de um ou dois anos. Oito anos se passaram. Em mais de uma ocasião, discutimos com os EUA o assunto da compensação pela presença da base, mas não obtivemos resposta", assinalou.   A decisão do presidente do Quirguistão será debatida na quinta-feira pelo Parlamento, que tem a prerrogativa de autorizar a abertura e fechamento de uma base militar. O Quirguistão também acolhe uma base militar russa nos arredores de Bishkek.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAQuirguistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.