R. Unido: eutanásia poderá ser decidida por terceiros

O Governo britânico estuda permitir que os doentes terminais possam delegar a outra pessoa a decisão de cancelar o tratamento que os mantém vivos, caso sejam incapazes de fazê-lo eles mesmos, segundo uma proposta do Governo divulgada hoje. Com a nova lei de Capacidade Mental, que entrará em vigor no próximo ano, os pacientes poderão nomear alguém que atue em seu nome perante um médico. Os doentes poderiam inclusive especificar se, em caso de perder suas faculdades, renunciam ao tratamento básico de fornecimento de alimentos. Neste caso, bastaria marcar um "sim" ou um "não" em um formulário para que um representante adquira os poderes de um advogado para poder decidir em nome do doente.O uso do formulário faz parte da proposta divulgada hoje pelo Ministério de Assuntos Constitucionais, e que será submetida a consulta entre os especialistas até o próximo 14 de abril. Os críticos da proposta classificaram a iniciativa como a "abertura da porta de trás" à eutanásia. Já para a ministra de Saúde britânica, Patricia Hewitt, a nova lei garantirá os direitos das pessoas incapacitadas para decidir por si mesmas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.