Rabino diz que palestinos deveriam 'desaparecer'

O influente rabino Ovadia Yosef disse, durante seu sermão semanal no sábado, que o líder palestino Mahmud Abbas e seu povo deveriam "desaparecer deste mundo". "Que todas essas pessoas sórdidas que odeiam Israel, como Abu Mazen (o nome popular de Abbas), desapareçam deste mundo", disse Yosef, líder espiritual do partido religioso Shas que faz parte da coligação de governo de Israel.

Agência Estado

29 de agosto de 2010 | 13h47

"Possa Deus atingir com a praga todos os horríveis palestinos que perseguem Israel", disse ele, dias antes de o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu reunir-se com Abbas em Washington para a retomada das conversações diretas de paz.

O negociador-chefe dos palestinos, Saeb Erekat, condenou as palavras do rabino e disse que elas eram "um incitamento ao genocídio" e pediu que o governo israelense "faça mais pela paz e pare de espalhar o ódio". "O líder espiritual do Shas está literalmente convocando um genocídio contra os palestinos e parece não haver resposta do governo israelense", disse ele em comunicado. "Ele está pedindo particularmente o assassinato do presidente Abbas que, em poucos dias, estará sentado frente a frente com o primeiro-ministro Netanyahu. É assim que o governo israelense se prepara para um acordo de paz?" Nas vésperas do encontro de quinta-feira em Washington, Erekat pediu à comunidade internacional que "condene o incitamento ao genocídio por figuras públicas de Israel".

Segundo Nissim Zeev, deputado do Shas, cujo partido tem 11 cadeiras no Parlamento de 120 integrantes, Yosef estava tentando expressar o desejo transmitido pelos textos sagrados judaicos segundo os quais Deus eliminaria os inimigos de Israel para abrir caminho para a paz.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinosrabino

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.