Rabino propõe criação da "ONU das religiões"

O rabino-chefe de Israel, Yona Metzger, pediu a criação de uma "Organização das Nações Unidas de grupos religiosos". A proposta para a criação de um organismo internacional com representantes das principais religiões do mundo foi feita em discurso no Congresso Internacional de Imãs e Rabinos para a Paz, em Sevilha, na Espanha. O Imã de Gaza, Imad al-Faluji, afirmou que políticos mentem, mas líderes religiosos têm um objetivo diferente - trabalhar para um bem maior. A proposta conta com apoio amplo de participantes influentes como Frederico Major, co-presidente da Aliança para Civilizações, o grupo que faz lobby para a resolução internacional de conflitos e é apoiado pelas Nações Unidas. A aliança foi iniciada pelo premiê espanhol, Jose Luis Rodriguez Zapatero. Por vezes, a linguagem diplomática tem sido deixada de lado nesta conferência e os discursos são extremamente diretos. Quando Metzger criticou os muçulmanos moderados por não enfrentarem Osama Bin Laden, líderes islâmicos acenavam com a cabeça manifestando acordo. Tanto líderes muçulmanos como judeus demonstraram disposição para receberem críticas. Também houve manifestações categóricas de oposição a mortes em nome de religião. Ao final da solenidade, a delegação muçulmana realizou uma prece para o profeta Maomé antes de retomar as discussões sobre idéias que pretendem apresentar aos delegados judeus. Os líderes religiosos têm três dias para formular um manifesto.

Agencia Estado,

20 Março 2006 | 10h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.