Alex Wroblewski/The New York Times
Alex Wroblewski/The New York Times

Rabinos são presos em protesto em Nova York contra veto a muçulmanos

Os detidos, 7 homem e 12 mulheres, são membros do grupo liberal judeu T'ruah, que convocou o protesto na porta do Trump International Hotel, na Praça Columbus Circle

O Estado de S. Paulo

07 Fevereiro 2017 | 17h32

NOVA YORK - Ao todo, 19 rabinos foram detidos na noite de segunda-feira durante um protesto em Nova York contra o veto migratório assinado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, informou a Polícia nesta terça-feira, 7.

Os detidos, 7 homem e 12 mulheres, são membros do grupo liberal judeu T'ruah, que convocou o protesto na porta do Trump International Hotel, na Praça Columbus Circle. Aproximadamente, 200 pessoas participaram.

Os rabinos foram algemados por interromper o trânsito e sentar no chão. Depois de algumas horas na delegacia, eles foram liberados, mas com a acusação de perturbação da ordem pública, de acordo com o jornal Daily News.

"Não podemos tolerar essa ordem executiva. É muito doloroso para nós. É pessoal (...) A tradição nos ensina a sermos gentis com a situação dos refugiados", disse ao jornal a vice-presidente do T'ruah, Rachel Gartner.

O grupo se opõe ao veto migratório assinado por Trump, suspenso por ordem de um juiz federal, que impede a entrada aos Estados Unidos de cidadãos de sete países de maioria muçulmana e refugiados.

"Orgulhosa de ser um dos detidos esta noite por dizer que estamos do lado dos imigrantes e dos refugiados", afirmou ela em mensagem no Twitter. / EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Donald Trump Estados Unidos

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.