Ração com dioxina chega à França e à Dinamarca

A preocupação com a presença de dioxinas na ração animal chegou na segunda-feira à França e à Dinamarca que, segundo um funcionário da União Europeia, importaram o produto da Alemanha.

CHARLIE DUNMORE E MICHAEL HOGAN, REUTERS

10 de janeiro de 2011 | 17h12

O alerta surgiu em 3 de janeiro, quando as autoridades alemãs anunciaram que ração contaminada com dioxina foi oferecida a frangos e porcos, o que contaminou ovos e carne em algumas fazendas.

"Na Dinamarca, esses produtos foram usados em galinhas poedeiras, que na verdade não são comercializadas (para consumo humano)", disse a jornalistas Frederic Vincent, porta-voz da União Europeia para questões de saúde e do consumidor.

"No caso da França, no lote exportado, aparentemente a concentração de dioxina era menor do que a concentração máxima autorizada na lei da UE para a ração animal", acrescentou Vincent.

Na semana, confirmou-se que ovos de granjas alemãs que usaram a ração contaminada haviam sido exportados para a Holanda, e que alguns foram posteriormente processados e embarcados para consumo humano na Grã-Bretanha.

A Coreia do Sul proibiu a importação de carne da Alemanha devido ao incidente. Autoridades alemãs negaram rumores de que a Eslováquia teria feito o mesmo. A Rússia, no entanto, queixou-se da escassez de informações enviadas por parte da Alemanha e União Europeia, e disse que não descarta a imposição de sanções.

O Ministério Público alemão está investigando a contaminação, e suspeita que a empresa Harles und Jentzsch tenha distribuído para fábricas de rações ácidos graxos destinados à produção de papel.

Cerca de 4.700 granjas e fazendas alemãs chegaram a ser interditadas na semana passada. Elas estão sendo gradualmente reabertas, e na segunda-feira apenas 1.635 continuavam sob restrições.

A Comissão Europeia reiterou que os níveis de dioxina encontrados nos ovos e na carne contaminados não representam um risco imediato à saúde humana.

Autoridades europeias deveriam se reunir ainda na segunda-feira com produtores de rações e com outros setores para discutir como assegurar a separação de gorduras destinadas ao uso industrial e às rações.

Dioxinas são toxinas formadas pela queima de dejetos e por outros processos industriais, e que sabidamente contribuem com a elevação da incidência do câncer e afetam grávidas.

(Reportagem adicional de Erik Kirschbaum e Eric Kelsey, em Berlim; e de Conor Humphries, em Moscou)

Tudo o que sabemos sobre:
UEDIOXINARACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.