Radialista é o quinto jornalista morto nas Filipinas em 2007

Dados da União Nacional de Jornalistas apontam que 54 profissionais perderam a vida desde 2001

EFE

24 de dezembro de 2007 | 04h15

O apresentador de rádio Ferdie Lintuan foi assassinado nesta segunda-feira no sul das Filipinas e se tornou o quinto jornalista morto no país este ano, segundo informações da televisão local. Lintuan era apresentador de uma emissora de Davao, cerca de mil quilômetros a sudeste da capital. Ele foi morto a tiros ao sair da sede da estação por pelo menos dois homens encapuzados. Segundo o vereador Próspero Nograles, Lintuan fizera muitas críticas ao prefeito de Davao, Rodrigo Duterte, que aplicou duras medidas contra o crime organizado. Ex-membro do mundo do crime que entrou na política para limpar seu nome, Duterte foi acusado de ter permitido que esquadrões da morte executassem bandidos para poder promover a cidade como "a mais segura da Ásia", como diz o site Escritório de Turismo local. O caso de um jornalista assassinado no país ocorreu em julho, quando outro locutor de rádio morreu da mesma forma na ilha de Cebu.  A presidente das Filipinas, Gloria Macapagal Arroyo, prometeu acabar com esta onda de assassinatos. De acordo com dados da União Nacional de Jornalistas, 54 profissionais perderam a vida desde que ela tomou posse, em 2001.

Tudo o que sabemos sobre:
Manila

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.