Radialistas dizem ter aplicado trote em Chávez

Dois locutores de rádio que se fazem passar por Fidel Castro, falando com os ouvintes, disseram ter usado o mesmo truque para enganar o presidente venezuelano, Hugo Chávez. As autoridades venezuelanas disseram nesta terça-feira que não puderam comprovar a versão, mas um fita de áudio apresentada pelos locutores contém uma voz que parece ser a de Chávez. Na fita, o suposto Chávez responde calorosamente a um telefonema que acreditou ser de Fidel, um de seus melhores aliados. No entanto, no final da conversa, os locutores, de origem cubana, da emissora de rádio WXDJ-FM, Joe Ferrero e Enrique Santos, qualificam Chávez de "terrorista" e "animal", além de outros comentários pouco lisonjeiros. Durante a transmissão, os locutores transmitiram frases de uma conversa privada entre Fidel e o presidente mexicano, Vicente Fox, divulgada pelo presidente cubano no ano passado. "Geralmente ligamos para gente comum", admitiu Ferrero. "Nunca imaginamos que pudéssemos falar com Chávez. Na melhor da hipóteses, achamos que falaríamos com uma secretária". Segundo Ferrero, eles tentaram por 10 vezes, desde a sexta-feira passada, enganar os assessores e ajudantes de Chávez no palácio presidencial de Miraflores. Mas na segunda-feira, Ferrero disse que ele e uma mulher se fizeram passar por operadores de telefonia e pediram à secretária de Chávez o número do telefone pessoal do presidente, para colocá-lo em contato com Fidel, que supostamente se encontrava em um local secreto e não poderia receber chamadas. Ouvia-se, ao fundo, uma gravação com a voz do governante cubano. Os locutores disseram que finalmente a secretária lhes forneceu o número e eles ligaram para Chávez com a fita preparada de Fidel. Chávez: "Alô, Fidel?"Fidel: "E aí? Fale."Chávez: "Alô!"Fidel: "Sim. Você já recebeu minha carta?"Chávez: "Ah, bom dia, irmão. Está me ouvindo?"Fidel: "Sim."Chávez: "Sim, recebi tudo, claro, claro."Fidel: "Muito bem, muito bem, muito obrigado". Chávez: "Não, sou eu que te agradeço. Falei com Germán ontem". Fidel: "Estou disposto a cooperar com você."Neste ponto, as pessoas que se faziam passar por operadores interromperam a conversa, dizendo que Castro não conseguia escutar a chamada devido a problemas técnicos. A ministra de Informação da Venezuela, Nora Uribe, disse hoje que não podia confirmar a chamada. Os funcionários venezuelanos em Washington e Miami não responderam aos telefonemas em busca de comentários a respeito. Ferrero disse que a emissora de rádio foi inundada com telefonemas de felicitações, mas Santos reconheceu que o proprietário da WXDJ, Raúl Alarcón, "não ficou muito satisfeito". No final da entrevista, Santos decidiu identificar-se: "Enrique Santos e Joe Ferrero falando de Miami. Sal da Venezuela! (impropério), terrorista!, estás acabando com o povo. Animal, assassino, (palavrão)!""Fiquei um pouco aborrecido quando meu sócio começou a insultar o presidente da Venezuela", reconheceu Ferrero. No entanto, a dupla admitiu que ambos não serão advertidos pela emissora. E Alarcón, o proprietário da rádio, não respondeu às chamadas que pediam seus comentários sobre o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.