Radicais recebem salário por engano

O governo do presidente palestino, Mahmud Abbas, pagou acidentalmente os salários de julho e parte dos atrasados a 2.600 membros da Força Executiva, criada pelo grupo islâmico radical Hamas, que tomou o controle da Faixa de Gaza em 14 de junho. Após perceber o erro, o governo ordenou aos bancos que estornassem os depósitos - um total de US$ 2,3 milhões -, mas centenas de combatentes já haviam retirado o dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.