Radical de direita leva vida oculta na Espanha

Um ex-radical da ultradireita espanhola, condenado a 43 anos pelo assassinato da militante de esquerda Yolanda González, em 1980, leva uma vida oculta trabalhando como funcionário do Ministério do Interior da Espanha. Emilio Hellín Moro trocou de identidade com o irmão, Luís Enrique Hellín, e foi encontrado trabalhando na polícia.

O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2013 | 02h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.