Radical islâmico se interna antes de depor sobre Bali

O líder radical islâmico Abu BakarBashir foi internado nesta sexta-feira num hospital de Java. Segundoseu advogado, Bashir apresentou problemas cardíacos erespiratórios e deve permanecer no hospital, onde está recebendooxigênio, por vários dias.Ele foiintimado pela polícia para prestar depoimento amanhã sobre a suposta participação de suaorganização, a Jemaat Islamiya (Grupo Islâmico) no atentado desábado em Bali. Segundo várias fontes, Bashir, de 64 anos, seria interrogadona condição de suspeito do atentado e provavelmente seria detidoapós o depoimento. O Jemaat Islamiya tem fortes vínculos com aorganização Al-Qaeda, segundo membros detidos do grupo de Osamabin Laden. O atentado de Bali causou a morte de quase 200 pessoas -estrangeiros, na maioria -, no pior ataque terrorista desde osataques de 11 de setembro de 2001. Em reação a ele e pressionada por Washington, a presidenteindonésia, Megawati Sukarnoputri, decretou hoje um pacote demedidas antiterror que inclui a pena de morte como possívelpunição a condenados por terrorismo e permitirá que a políciaefetue prisão de suspeitos sem a necessidade de ordem judicial. Até agora, o governo indonésio ignorava as informações deserviços de inteligência estrangeiros, segundo as quais célulasterroristas estavam ativas no país. E, apesar de denúnciasfeitas especialmente pela Malásia e Cingapura, alegava não terprovas para prender Bashir. Em Londres, o secretário de Relações Exteriores britânico,Jack Straw, admitiu hoje que seu governo recebeu uma advertência"genérica" sobre a ameaça de um ataque terrorista naIndonésia. Parentes das vítimas britânicas criticaram o governopor não divulgar o alerta.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.