Radical xiita pede por movimentos antiamericanos no Iraque

O radical xiita Muqtada al-Sadr criticou por meio de uma declaração feita nesta sexta-feira, 30, os Estados Unidos de ser o responsável das desgraças do Iraque e pediu por uma demonstração em massa da população contra os americanos no dia 09 de abril.Esta data marca o 9º aniversário da queda do governo de Bagdá.Esta declaração é a primeira de Sadr desde 14 de março, quando pediu que opositores dos Estados Unidos lidassem com a presença de tropas americanas de forma pacífica. Os americanos dizem que Sadr fugiu para o Irã, mas os aliados do xiita insistem em afirmar que ele continua no Iraque.A declaração foi lida por religiosos durante orações desta sexta-feira na mesquita de Kufa, região xiita no sul de Bagdá, onde Sadr costumava freqüentar. "Eu renovo meu pedido de que os ocupantes (Estados Unidos) devam sair de nossa terra", disse Sadr em comunicado. "A saída dos ocupantes significará estabilidade para o Iraque, vitória para o Islã, paz e derrota aos infiéis e terroristas", acrescentou.Sadr, líder do Exército Mahdi, que lutou contra tropas americans no Iraque, cooperou com o plano de segurança em Bagdá, mas culpou a presença dos americanos pela violência sectária no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.