Rádio estatal israelense entra em crise

A entidade que agrupa a rádio e a televisão estatais israelenses, conhecida como IBA, atravessa um período de turbulência, com jornalistas procurando a proteção de guarda-costas e diretores recebendo ameaças por telefone. Alguns jornalistas e vários membros do Partido Trabalhista acusam o primeiro-ministro Ariel Sharon de ter desestabilizado a situação, ao tentar impor homens de sua confiança no alto comando da IBA e diante dos microfones.Para os próximos dias, está prevista a chegada de um amigo de Sharon, Abraham Natan (Partido Likud), para substituir Nachman Shay na direção da entidade. O diretor da rádio estatal (Voz de Jerusalém), Amnon Nadav, denunciou ter recebido duas chamadas telefônicas em tom ameaçadores. "Ou você se livra de Uri Dan, ou deverá contratar rapidamente guarda-costas", dizia a advertência, segundo Nadav.Considerado um brilhante correspondente de guerra nos anos 60 e 70, Dan é amigo pessoal do então general, e hoje premier, Ariel Sharon. Nos anos 80, quando Sharon era ministro da Defesa, Dan era seu porta-voz. Agora, por recomendação de Nadav, Dan conduz com a jornalista e deputada do Likud Peer-Li Shahar um popular programa de rádio.Quando Nadav decidiu que apenas uma transmissão semanal não era suficiente, e que era necessário duplicar a freqüência, vários funcionários da Voz de Jerusalém reagiram negativamente. Dias atrás, quando Shahar e Dan abriram os microfones, o estúdio foi invadido por vários colegas que suspenderam a transmissão e iniciaram uma assembléia. Nadav afirmou, depois de ter recebido as ameaças, que elas foram feitas "por um grupo de funcionários de esquerda". Um jornalista da IBA, que pediu anonimato, afirmou que as ameaças contra Nadav foram "fruto de sua fantasia".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.