Radioatividade detectada em aviões da rota Londres-Moscou

Policiais ingleses encontraram traços de radiação em três aviões da companhia britânica British Airways (BA). Este é o mais recente episódio na investigação da morte por envenenamento do ex-espião russo Alexander Litvinenko. Um quarto avião, o Boeing 737 operado pela companhia russa privada Transaero, aterrissou na manhã desta quinta-feira no aeroporto londrino Heathrow, e também está sendo investigado de possível contaminação por radiação. O ministro do Interior britânico, John Reid, disse que a Agência de Proteção de Saúde espera liberar um dos três aviões da British Airways, que operam na rota Londres-Moscou. Os outros dois aviões ainda passarão por mais testes. Dois desses aviões estão no Heathrow, e uma terceira aeronave foi tirada de serviço em Moscou, para ser analisada lá, segundo a BA. Natalia Remnyova, administradora do aeroporto Domodedovo, utilizado em Moscou pela BA, disse que não sabia nada sobre um avião parado no local. Reid disse também que já foram encontradas evidências de radiação em diversos lugares na Inglaterra. O ministro afirmou que "cerca de 24 focos" foram ou estão sendo monitorados e que especialistas confirmaram traços de contaminação em "aproximadamente 12 destes focos". Além disso, até agora 18 pessoas poderiam ter se exposto ao polonio-210. Elas foram levadas a clínicas especializadas e todos os testes de urina feitos deram negativo. A British Airways afirmou que o "risco ao público é muito baixo", e acrescentou que está em processo de contactar dezenas de milhares de passageiros que voaram nos aviões. A companhia aérea afirmou ter sido contactada pelo governo britânico na terça-feira à noite, ordenando a aterrissagem dos dois aviões, e permitir que policiais que investigam a morte do ex-espião russo testassem quanto a traços de radiação. Altas doses de polônio-210 - um raro elemento radioativo geralmente produzido em instalações nucleares - foram encontradas no corpo de Litvinenko, e traços de radiação foram encontrados em locais de Londres relacionados com sua morte. Não ficou claro o motivo dos aviões da BA apresentarem traços de radiação. Autoridades se recusam a especificar se a substância encontrada nas aeronaves era polônio-210. Todos os aviões fizeram a rota Londres-Moscou, segundo a BA. Nas últimas semanas, as aeronaves fizeram também diversas rotas pela Europa, inclusive Barcelona, Frankfurt e Atenas. Cerca de 33 mil passageiros viajaram nos 221 vôos desses aviões, segundo Kate Gray, porta voz da companhia aérea. Este texto foi alterado às 12h para acréscimo de informações.

Agencia Estado,

30 Novembro 2006 | 09h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.