Rainha e ex-líder do IRA trocam aperto de mãos

A rainha Elizabeth II e o ex-comandante do Exército Republicano Irlandês (IRA, na sigla em inglês) Martin McGuinness trocaram um aperto de mãos nesta quarta-feira, em um aguardado encontro que simboliza a consolidação da paz na Irlanda do Norte, após décadas de violência.

AE, Agência Estado

27 de junho de 2012 | 14h02

A monarca e McGuinness reuniram-se privadamente no Lyric Theater em Belfast, capital da Irlanda do Norte, durante evento artístico. A imprensa foi impedida de registrar o primeiro aperto de mãos, mas os dois repetiram o gesto duas horas depois para uma câmera de TV e dois fotógrafos. No lado de fora, a polícia fechou todas as ruas em volta do teatro e disse para os moradores não deixarem suas residências.

McGuinness contou que disse para a rainha, em gaélico, "adeus e boa viagem" e traduziu a frase. Ela não respondeu, apenas ouviu e sorriu. Especialistas afirmam que McGuinness, de 62 anos, era o chefe de pessoal do IRA quando o grupo assassinou um primo de Elizabeth II, Lorde Louis Mountbatten, em 1979, a vítima mais notável do conflito que durou quatro décadas e matou mais de 3,7 mil pessoas.

O evento ocorrido nesta quarta-feira marcou o mais recente, talvez definitivo, momento do processo de paz que já dura 20 anos e registrou uma série de acordos antes impensáveis. O IRA abandonou formalmente sua campanha para retirar a Irlanda do Norte do Reino Unido em 2005 e entregou as armas. Dois anos depois, McGuinness tornou-se o principal político católico no novo governo de coalizão, o objetivo central do acordo de paz de 1998. Seu governo com políticos protestantes comanda a Irlanda do Norte desde então, em surpreendente harmonia e cooperação com a Grã-Bretanha. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Irlanda do NorteElizabeth II

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.